Ministros de Deus ou Profissionais do púlpito?


ronaldobezerra1.jpg

“Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não o percebeis?” – Isaías 43:19.

Deus deseja fazer coisas novas nestes dias no meio da Sua Igreja. Deus está se movendo de maneira nova e há um “novo som” que precisamos captar. Como Deus faz coisas novas, precisamos estar atentos à Sua voz e ao Seu caminhar.

Mas para estarmos sensíveis à voz e direção do Senhor precisamos refletir: Quem nós somos, ministros de Deus ou profissionais do púlpito? Como tem sido a nossa adoração? Ela toca o coração de Deus e abençoa as pessoas ou é como “sino que tine”, que só faz barulho? Qual tem sido nossa maior preocupação na adoração, o conteúdo ou a performance? O que temos visado, a glória de Deus ou a glória dos homens?

Devemos entender que a música e a adoração não transformam pessoas, o que as transformam é a presença de Deus! Ele manifesta-se em espírito e em verdade. A música é uma avenida maravilhosa que carrega a adoração. Música e adoração são duas coisas diferentes, mas se a música possuir a presença de Deus ela se tornará adoração.

A “chave” para sermos melhores, músicos, cantores, arranjadores, treinadores e
facilitadores, é a presença de Deus! É a presença de Deus que vai fazer a diferença em nossa vida e ministério. O Rei Davi era um músico habilitado, mas a coisa mais importante, seu maior atributo era que o Senhor estava com ele (I Sm 16:18). Não podemos ser apenas músicos ou dirigentes dos cânticos que ministramos, mas devemos ser ministros de Deus e facilitadores da manifestação do Espírito Santo. O grande erro que cometemos é quando somos apenas cantores e tocadores de instrumentos, então nos tornamos profissionais do púlpito e, na verdade, precisamos ser “líderes no Espírito”. Precisamos estar preparados, abastecidos na Palavra e oração, ungidos e confiantes de tal forma que, quando tocarmos ou falarmos algo, Deus se manifeste através de nós. Então como ministros, seremos usados grandemente pelo Senhor!

Assim como a chuva não começa no céu, mas na terra, através da evaporação da água que vai até a atmosfera e quando alcança o ambiente certo se transforma em chuva, da mesma forma a adoração não começa no céu, mas começa aqui na terra.

Cuidado! Não devemos ser atores, performáticos e profissionais do púlpito! Adoração e atuação são coisas distintas. Quando as pessoas se impressionam por aquilo que fazemos (desempenho) erramos o alvo; mas quando as pessoas ficam cativadas pela presença de Deus (adoração), então, acertamos o alvo.

O mais importante não é a nossa atuação ou desempenho, mas é a presença de Deus. As pessoas devem olhar para Ele e não para nós! Por outro lado, tudo o que fizermos no “palco”, também devemos fazer quando estivermos no meio do povo, porque senão nos tornaremos profissionais e performáticos. Nunca devemos pedir para as pessoas cantarem, louvarem ou dançarem, se não estivermos dispostos a fazer o mesmo.

Lembre-se, Deus está fazendo coisas novas nestes dias! Estejamos atentos, abertos e sensíveis ao mover de Deus! Sejamos ministros de Deus!

“Filhos meus, não sejais negligentes, pois o Senhor vos escolheu para estardes diante dele para o servirdes, para serdes seus ministros e queimardes incenso” – II Cr 29:11.

Escrito por Ronaldo Bezerra

(Para falar com Ronaldo envie sua mensagem para ronaldo_bezerra@hotmail.com)

Publicado por Michael Cyrus

Husband, father, teacher, business administrator. Esposo, pai, professor, administrador de empresas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: